Clippings

UOL - Daniele Dutra (04/07/2024)

Onde investir para a aposentadoria, e por que você deve começar já

Somente duas a cada 10 pessoas no Brasil já começaram a fazer uma reserva para a aposentadoria, de acordo com o Raio X do Investidor Brasileiro publicado pela Anbima

Somente duas a cada 10 pessoas no Brasil já começaram a fazer uma reserva para a aposentadoria, de acordo com o Raio X do Investidor Brasileiro publicado pela Anbima. Especialistas ouvidos pelo UOL alertam sobre a necessidade de começar o quanto antes a se planejar financeiramente para o futuro e falaram quais são os melhores investimentos para essa finalidade… 


Por que começar a planejar a aposentadoria já?

Quando você não estiver mais trabalhando, sabe de onde sairá sua renda e sustento? Planejar isso com antecedência leva a uma velhice mais tranquila, com estabilidade e independência, sem precisar de ajuda dos filhos ou de parentes.

Nem sempre é possível depender do INSS. O economista e professor de finanças do IBMEC, Gilberto Braga, explica que tradicionalmente o valor da aposentadoria oficial é insuficiente para uma boa parte dos brasileiros quando pararam de trabalhar e a manutenção dessa renda auxilia no padrão de vida dessa pessoa em seus últimos anos de vida.

Mas pagar o INSS continua sendo fundamental, pois é uma renda vitalícia, diferente dos demais. "O INSS vai ter que passar por mudanças, vamos ter que contribuir mais tempo, revisitar quem é MEI, mas ele nunca vai deixar de existir. Vai continuar existindo em outras condições e pelo menos aquele valor mínimo que você contribuiu é o único que te dá renda vitalícia e que também serve como seguro de doença que você pode utilizar. Eu não dispenso essa opção porque lá na frente ele vai te ajudar de alguma forma", diz a planejadora financeira Myrian Lund, professora de finanças na FGV.

Adiar esse planejamento em função de outras circunstâncias é algo cultural no Brasil, mas é preocupante. É essencial pensar em "quem vai me sustentar lá na frente?". "As pessoas estão vivendo mais de 100 anos e muita gente não tem contribuído nem com o INSS. Esse benefício vai cobrir ao menos as despesas essenciais. Agora, quem não contribui com o INSS vai viver com a ajuda de quem? Hoje em dia as famílias só tem um filho ou nenhum filho. As pessoas precisam pensar no dinheiro para ser feliz hoje, amanhã e depois. ", declara Lund.

Ao receber o primeiro salário, o o ideal já é guardar 10% para aposentadoria, seja de estágio, de trainee ou de um trabalho formal. Quem não puder separar 10% do salário, é possível começar até com R$ 30, R$ 40, R$ 100 por mês. Esses investimentos vão dar segurança financeira daqui a 20, 30, 40 anos.

E é importante que esse pagamento também seja em débito automático, pois juntar dinheiro para aposentadoria é uma coisa de longo prazo. "Crie a cultura de que uma parte é para você viver feliz lá na frente, realizar sonhos", diz ela.

"Quanto mais cedo, melhor. Mas pensar em aposentadoria é indicado em qualquer idade. Quanto mais jovem a pessoa é, mais tempo ela terá, e o necessário valor será diluído ao longo do período. Do contrário, ela precisará investir mais, com menos tempo. A partir do momento em que a pessoa começa a trabalhar, o ideal é pensar na aposentadoria. Hoje em dia já existe até plano de aposentadoria até para criança." - Gilberto Braga, economista e professor de finanças do IBMEC


Por onde começar

Para quem deseja começar e não sabe por onde, o economista explica que o primeiro passo é criar um planejamento. Isso vai variar de acordo com a idade que a pessoa tem e que planeja parar de trabalhar. É preciso saber também quando ela pode despender mensalmente para esse fim e quanto ela gostaria de receber a longo prazo.

É possível contratar um planejador financeiro, ou então usar a internet. Existem diversos sites com simuladores, que mostram quanto e por quanto tempo você precisará investir para ter o valor que você acredita que seja necessário para viver.

O plano precisa ser revisto de tempos em tempos. "A questão é que esses planos precisam ser revisados periodicamente, porque você está planejando hoje, mas pensando no futuro. Existem condições adversas que são mutáveis, como guerra, inflação alta, crises, e tudo isso influi nesses planos. O único erro que as pessoas não podem cometer é achar que só pagar um plano, vai alcançar o que ela projetou no final da contratação. O início do plano diz que em cinco anos você vai ter X reais, mas quando chega o prazo, quanto de fato te rendeu? É importante analisar e ver se está funcionando se não esse plano precisa ser alterado", alerta o professor.

Quais os melhores investimentos? O ideal é ter dois ou três tipos de aplicações voltados somente para a aposentadoria. É o que diz Lund. Entre as opções, estão:

- Tesouro Renda+ (IPCA + 6.38% ao ano)

- Previdência privada</li>

- Ações e Bolsa de Valores

- Fundos como Fiagro, Fundos Imobiliários e Fundos de Infraestrutura incentivada

A previdência privada é uma opção. Eles aceitam aplicações a partir de R$ 50, R$ 100, diz Lund.

O Tesouro Renda+ é um título do Tesouro Direto. "Já o Tesouro Renda + também é uma opção que eu adoro. Atualmente ele está rendendo o IPCA + 6.38% ao ano. Só que ele te paga por apenas 20 anos e você vai ter que retirar aos poucos", afirmou a especialista.</p><!---->

Para quem é mais jovem, investir na renda variável pode ser uma opção interessante, já que ele tem mais tempo de se recuperar em uma eventual perda. É o caso de ações, fundos multimercado e outros investimentos em Bolsa.

Quanto mais jovem, a gente entende que o poupador pode tomar mais riscos porque ele tem mais tempo de se recuperar em uma eventual perda. Quanto mais risco, mais chance de perda e de ganho. Para montar essa carteira, é recomendado que esse jovem tenha ativos de renda fixa e renda variável. Já o contrário, quanto menos tempo para a aposentadoria, é preciso ter um rendimento mais garantido, uma renda fixa, porque ele pode não ter tempo para recuperar?, alerta o economista.

Mas, antes de entrar no mundo das ações, é preciso estudar e saber o que está fazendo? Quando não se sabe, é melhor não entrar. Vale lembrar também que a bolsa brasileira é muito diferente da bolsa americana, que é composta por empresas de tecnologia, hi tech, inteligência artificial e tudo que está trazendo resultados astronômicos para as referidas empresas. Já a nossa é uma bolsa de poucos papéis e são sempre os mesmos, como Vale, Petrobras, os bancos e não entram novos segmentos que estão alavancando agora. Então para entrar, é preciso entender de forma mais aprofundada?, diz Lund.

Certos fundos de investimentos, como FIIs, geram rendas mensais. Uma outra opção mais no futuro é você investir em fundos de investimentos imobiliários lançados agora. A cota gira em torno de R$ 100 e ele te dá uma renda mensal, mas como você não vai precisar para agora, a ideia é ir juntando e aplicando até chegar a hora de se aposentar, como o Fiagro, Fundos Imobiliários e Fundos de Infraestrutura incentivada. Temos muitas opções para investir agora e retirar no futuro, mas as principais para quem quer começar seria a previdência e o Tesouro Renda +?, segundo a professora.