Clippings

O Dia - Letícia Moura (05/01/2020)

Desconto de até 30% no material escolar

Pais que se juntam para fazer compras coletivas aproveitam oportunidades. Confira o que não pode ser exigido na lista

O ano nem bem começou e com ele chegam as cobranças de impostos e taxas. E para os pais e responsáveis há ainda mais uma preocupação: a lista de material escolar dos filhos. Uma alternativa para economizar e evitar pesar no orçamento da família, uma boa dica é reunir um grupo de pais e optar por compras coletivas. Segundo o economista e professor do Ibmec, Gilberto Braga, a estimativa de economia varia de 15% a 30% nos preços do material.

Como os grupos de pais compram em quantidades maiores, têm poder de barganha para adquirir os itens com bons abatimentos e valores de atacado. Além disso, os responsáveis conseguem dividir as tarefas de levantamento e comparação dos preços em lojas físicas e onlines.

De acordo com Gilberto Braga, o WhatsApp facilitou a criação dos grupos para as compras coletivas. "Adquirir material escolar hoje fica mais fácil em grupo, porque a maioria dos alunos já tem grupos de WhatsApp, o que era algo que dificultava no passado você organizar e reunir os interessados. Então, agora por meio do WhatsApp failitou ainda mais e muitos colégios têm também grupos de pais de alunos que nessa época se organizam para organizar as compras em conjunto", explica Braga.


ARGUMENTOS PARA NEGOCIAR

Especialista em varejo, Marco Quintarelli indica qual argumento os pais podem usar para negociar o valor da compra. "O primeiro grande argumento é o volume comprado, quanto maior o número de pessoas para comprar, maior é o valor do desconto", orienta.

Após as festas de final de ano, muitos segmentos, entre eles, os hipermercados focam as vendas para o início do ano letivo, e preparam prateleiras com produtos escolares que saem mais em conta.