Clippings

O Dia - Martha Imenes (12/03/2019)

Fim das dívidas em apenas um clique

Bancos oferecem plataformas online para que o consumidor negocie débitos. Especialistas alertam: é preciso saber o valor real da dívida antes de fechar acordo

O Dia Mundial do Consumidor é comemorado na próxima sexta, mas a semana já começou bem para quem está com o nome sujo na praça: os bancos estão com negociação abertas para quitar dívidas de clientes. E nem é preciso ir até à agência para saber quanto deve e buscar uma forma de quitar o débito. Os cinco maiores bancos do país, que representam aproximadamente 95% do mercado de crédito, oferecem plataformas online para facilitar o pagamento de débitos em atraso. As condições das negociações dependem de cada cliente.

E, segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), o retorno é positivo: até 40% dos acordos já são feitos pela internet. Ou seja, em um clique - ou touch - o consumidor pode resolver suas pendências.

A plataforma é bem avaliada por especialistas. "A negociação online é importante porque evita a exposição física pública do consumidor, que muitas vezes se sente envergonhado por estar em uma condição de inadimplência", avalia Gilberto Braga, professor do Ibmec e da Fundação D. Cabral.

Mas atenção, é preciso avaliar bem o acordo oferecido pelas instituições financeiras. Isso ocorre, segundo Gilberto Braga, porque o processo de renegociação é feito dentro das opções que o credor oferece. "Desta forma o consumidor pode não ser contemplado com as condições oferecidas", adverte.

Por isso, acrescenta o economista, é importante saber o valor real da dívida e observar se a instituição dá desconto no valor total, com o abatimento de juros, por exemplo.

Para a advogada Luciana Cruz, do escritório Vieira, Cruz Advogados, o momento é favorável para a negociação de dívidas. "Ainda vivemos em uma crise econômica e, por isso, os bancos encontram-se mais flexíveis para negociar dívidas antigas", explica Luciana.

A especialista adverte que alguns cuidados devem ser tomados antes de fechar o acordo. "O consumidor deve negociar a dívida até que ela esteja dentro da sua realidade financeira e dividir o débito em parcelas fixas", diz. "Dessa forma, ele sabe a quantia necessária por mês que deve dispor para o débito e fica prevenido e mais atento para possíveis fraudes ou cobranças indevidas", acrescenta a advogada.


Inadimplência

O Brasil registrou, em 2018, 62,6 milhões de consumidores com alguma conta em atraso e com o CPF restrito para contratar crédito ou fazer compras parceladas, segundo dados do indicador de inadimplência da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). O número de devedores representa 41% da população adulta do país.


Febraban: acordos online vão superar os presenciais

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) avalia que até o próximo ano as negociações online devem ultrapassar as tratativas presenciais, feitas nas agências - a exemplo do que ocorre com as transações bancárias, com o maior uso do mobile banking no dia a dia do cliente.Segundo Fábio Marques, diretor de Educação Profissional e Financeira da Febraban, a flexibilidade de horário e a conveniência de dispensar o deslocamento estão entre as principais razões para o desempenho.

No Itaú Unibanco, o número de renegociações efetivadas em canais digitais cresceu 72% no ano passado. A campanha de renegociação da instituição, que vai até 31 de março, elevou em 27% o volume de acessos a canais digitais.

Segundo o Bradesco, o crescimento nas negociações virtuais, principalmente as realizadas por meio do celular, representa 30% do total das negociações em canais digitais.

O Portal Soluções de Dívidas, do Banco do Brasil, teve quase um milhão de acordos firmados desde 2014. Consideradas todas as iniciativas contratadas em agências e em canais digitais, 40% das renegociações concretizadas pelo BB já são online.

No Santander, o volume de acordos via Portal de Renegociação chega a 30% do total. E a instituição projeta que o número atinja 50% até o fim do ano.

Já a média diária de acordos feitos nos meios digitais na Caixa foi seis vezes maior em 2018 em comparação ao período de novembro de 2016: o número de acordos passou de 235 por dia para cerca de 1.550.


Confira os sites dos bancos para negociar dívidas

Banco do Brasil

https://www.bb.com.br/pbb/pagina-inicial/voce/produtos-e-servicos/solucao-de-dividas#/

Bradesco

https://banco.bradesco/html/classic/produtos-servicos/renegociacao-de-dividas/index.shtm

Caixa

https://www.caixa.gov.br/voce/credito-financiamento/renegociacao-dividas/Paginas/default.aspx

Itaú Unibanco

https://www.itau.com.br/renegociacao/

Santander

https://www.santander.com.br/hotsite/semdivida/